A Pré-produção de Titanic (1997)

Titanic é um filme de romance épico de 1997, dirigido e roteirizado por James Cameron. O filme conta no elenco com Leonardo DiCaprio, Kate Winslet, Bernard Hill, Billy Zane, Kathy Bates, Francis Fisher e Gloria Stuart. Titanic é até hoje o maior vencedor do Academy Awards (ao lado de Bem-Hur e O Senhor dos Anéis: o Retorno do Rei), tendo conquistado 11 estatuetas e concorrido em outras 3. Além disso, se manteve como maior bilheteria da história até ser superado por Avatar, igualmente dirigido por James Cameron.

Toda a história da produção do filme tem ligação com Cameron, que é um aficionado pela história do navio, tendo muito a estudado antes de escrever seu roteiro. Tendo finalizado, Cameron estava pronto para oferecer seu projeto a diversos estúdios. Tal missão não era simples, visto que o orçamento para a produção da forma que Cameron desejava era exorbitante. Além disso, a marca Titanic não era conhecida. Não pertencia a uma franquia famosa, não era baseada em um livro ou em algum personagem famoso. Tal como hoje, Hollywood preferencia tais produções por possuírem maior garantia de retorno financeiro, principalmente através de bilheteria. Somado a esses fatores, Cameron não era um diretor muito conceituado na época, sendo tido suas maiores produções na ação e ficção dos anos 80 (Alien e Exterminador do Futuro).

Ele preciso insistir para conseguir que o filme fosse produzido, pois ele exigia um grande orçamento e seu sucesso não era garantido. Convencendo o estúdio que o filme seria rentável, Cameron conseguiu algumas vezes ir até o próprio navio, em um percurso que durava praticamente o dia inteiro e tendo ele junto com a Panavision desenvolvido um novo equipamento. Ele obteve as plantas do navio e diversos documentos privados da White Star Line (empresa que desenvolveu o navio), catalogou listas de passageiros, criou uma biblioteca com diversos livros apenas sobre o navio e recrutou diversos historiadores e especialistas para consultoria. Tudo para dar ao filme o máximo de realismo possível em todos os aspectos.

Para a produção do filme, os estúdios e Cameron, utilizando as plantas originais, construíram uma réplica do navio. Para comportá-lo, tiveram que desenvolver um novo estúdio para a produção. O estúdio, então, comprou um terreno no litoral do México para esse fim. A “piscina” contava com uma plataforma que funcionava como uma gangorra para a água entrar e sair do navio, à medida que era erguida e baixada, e para a iluminação e gravação de cenas do alto, guindastes de 50 metros foram utilizados. Esses elementos fizeram com que o filme tenha sido mais caro que o próprio navio.